Setor madeireiro de Guarapuava deve começar a escoar produção por ferrovia

Acordo prevê início de testes em breve

Uma negociação que se iniciou na semana passada entre Governo do Estado e a empresa Rumo Logística poderá beneficiar o setor exportador de madeiras em Guarapuava. O compromisso da empresa é iniciar testes para carregamento de madeira industrializada na cidade e que tem como destino o mercado externo, via Porto de Paranaguá. O prefeito de Guarapuava, Cesar Silvestri Filho (Podemos), participou de uma reunião que discutiu o assunto, na terça-feira (3/3) da semana passada. Segundo ele a empresa se comprometeu a iniciar os testes em breve.

“Eles já acenaram de forma muito concreta o início, ainda em fase de testes, dos embarques em contêineres da madeira industrializada. Saímos com um compromisso da empresa de iniciar os testes”, disse o prefeito.

Antes do início da operação serão realizados testes para definir qual a capacidade e quais ajustes necessários no pátio de manobras da Ferroeste em Guarapuava. A madeira seria levada em contêineres. Já graneis líquidos, como combustíveis, e graneis sólidos, como soja e fertilizantes, não estão nos planos da empresa nesse momento.

Safra

O Governo do Estado, que controla a Ferroeste, já havia anunciado um aumento de 1,2 milhão de toneladas na capacidade de cargas transportadas de cascavel para o Porto de Paranaguá. Mas somente para um tipo de carga: grãos. E nenhum volume seria carregado aqui em Guarapuava, onde se encontram os trechos das empresas Ferroeste e Rumo Logística.

Com a negociação específica sobre Guarapuava o setor madeireiro sai ganhando. O transporte por trem é mais barato e aumenta a competitividade do produto. Em 2019 ao menos 12 empresas da cidade realizaram exportações de madeira beneficiada.

Fonte: Central Cultura de Comunicação

Compartilhe nas Redes Sociais:

©2020 | AmstedMaxion Criando Caminhos | Todos os direitos reservados