Indústria de fundição tem primeiro bimestre de alta da produção, com demandas interna e externa em ascensão

Em fevereiro, a indústria brasileira de fundição registrou nova alta de produção, dessa vez de +6,5% em relação a janeiro imediatamente anterior e +3,0% sobre fevereiro de 2020. Com isso, o primeiro bimestre de 2021 fecha com incremento de +6,0% na comparação interanual, segundo dados apurados pela ABIFA.

Nos dois primeiros meses de 2021, foram fundidas 378.118 t, das quais 195.049 t foram produzidas em fevereiro. Todos os metais apresentaram aumento ou estabilização de produção, conforme a tabela abaixo.

As exportações, ao que tudo indica, voltaram a ter maior peso na demanda do setor este ano, com a retomada do mercado internacional. Em 2020, apenas 12,5% da produção brasileira de fundidos foi exportada (259.871 t de fundidos); -28,6% em relação a 2019.

Neste primeiro bimestre, os embarques já somam 50.743 t, o que equivale a uma alta de +19,5% sobre jan-fev/2020. Em valores, esta comparação indica um incremento +13,5%.

Para atender à demanda, a indústria de fundição também empregou mais em fevereiro, totalizando 57.536 colaboradores. Este número é 2,4% superior ao registrado em janeiro.

Perspectivas 2021

Para o exercício 2021, é mantida a expectativa de aumento da produção entre +12% e +15% em relação a 2020, quando foram fundidos 2,073 milhões t.

Segundo Afonso Gonzaga, presidente da ABIFA, esta estimativa de crescimento é pautada no próprio mercado consumidor de fundidos, que tem anunciado a retomada de investimentos paralisados pela pandemia. Este é o caso das indústrias automotiva e de bens de capital, atualmente responsáveis por aproximadamente 56% e 12% da demanda do setor, respectivamente.

Fonte: ABIFA (https://www.abifa.org.br/industria-de-fundicao-tem-primeiro-bimestre-de-alta-da-producao-com-demandas-interna-e-externa-em-ascensao/)

Compartilhe nas Redes Sociais:

©2021 | AmstedMaxion Criando Caminhos | Todos os direitos reservados