Venda de máquinas segue em expansão e receita cresce 7%

Estimativa é uma alta de 20% no faturamento este ano, segundo Abimaq

Valor Econômico – A indústria de máquinas e equipamentos segue apresentando resultados positivos neste ano. A receita líquida em julho cresceu 7% em relação ao mesmo período de 2020, chegando a R$ 17,05 bilhões. No acumulado do ano, o faturamento do setor soma R$ 118,55 bilhões, alta de 34,3%. Já o resultado em 12 meses, terminados em julho, atinge R$ 202,31 bilhões, evolução de 27%. Os dados foram divulgados ontem pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

A receita interna, segundo a associação, foi de R$ 13,1 bilhões no mês passado, o que representou aumento de 10,9% em relação ao mesmo período de 2020. Já de janeiro a julho, o faturamento com as vendas internas cresceu 45,7%, a R$ 91,32 bilhões. Em 12 meses, a receita interna foi de R$ 154, 81 bilhões, o que representou alta de 37,8%.

O consumo aparente também aumentou no mês passado. Segundo os dados, o indicador chegou a R$ 23,34 bilhões, alta de 8,4% no comparativo com julho de 2020. No acumulado deste ano, o consumo aparente de máquinas e equipamentos foi de R$ 168,25 bilhões, evolução de 19,3%. Em 12 meses, o crescimento foi de 19,3%, alcançando R$ 283, 69 bilhões. A participação das vendas internas no consumo aparente aumentou cerca de 10 pontos percentuais no comparativo com 2020. A produção nacional foi responsável por 54,3% do consumo aparente no período.

Com esse desempenho, e com a tendência de manutenção de um resultado ainda forte no segundo semestre, o presidente executivo da Abimaq, José Velloso, disse que a entidade estima crescimento de 15% a 20% na receita total do segmento neste ano. Segundo ele, haverá um ajuste ao longo do segundo semestre com pequena desaceleração nas vendas.

“Hoje, quando se olha o acumulado em 12 meses, o crescimento nas vendas é de 27%. Haverá uma adequação porque o segundo semestre de 2020 foi muito forte. Existe uma preocupação no longo prazo com o aumento da taxa de juros, da inflação e do dólar. Isso pode afetar os nossos custos, com matéria-prima e mão de obra”, disse.

Segundo a Abimaq, a carteira de pedidos está 23% acima da registrada no mesmo período de 2020. Atualmente, o segmento acumula 11,2 semanas de vendas em carteira. Com essa atividade garantida, as fabricantes de máquinas e equipamentos empregam 363 mil pessoas.

As importações aumentaram 38,4% em julho, para US$ 1,74 bilhão. No ano, a alta foi de 15,3% chegando a US$ 11,86 bilhões. Já as exportações somaram US$ 764,7 milhões em julho, 26,3% maior que 2020. No acumulado do ano, as vendas externas chegaram a US$ 4,81 bilhões, evolução de 22,4%.

Foto: Reprodução Valor Econômico

Fonte: Valor Econômico (https://valor.globo.com/empresas/noticia/2021/08/26/venda-de-maquinas-segue-em-expansao-e-receita-cresce-7.ghtml)

Compartilhe nas Redes Sociais:

©2021 | AmstedMaxion Criando Caminhos | Todos os direitos reservados