Governo de MS busca viabilizar ferrovia Oeste para consolidar projeto a TransAmericana

Além do entusiasmo do governador Reinaldo Azambuja e do setor privado, o governador João Doria deve somar esforços no cenário nacional.

Mato Grosso do Sul vai unir forças com os estados de São Paulo e do Centro -Oeste para viabilizar o projeto da ferrovia Oeste e, consequentemente, dar musculatura para consolidar a de vez o plano de implantação da malha ferroviária TransAmericana. Nesta quarta-feira (29), em São Paulo, o governador Reinaldo Azambuja – acompanhado dos secretários Eduardo Riedel (Segov) e Jaime Verruck (Semagro) – se reuniu com o CEO da empresa Rumo Logística, Júlio Fontana, e discutiu estratégia para efetivar o plano da ferrovia que vai unir os oceanos Atlântico e Pacífico. ” A reunião foi um passo importante porque o Júlio (Fontana) é o CEO do projeto da TransAmericana e hoje eu vi nele um grande otimismo, conseguimos enxergar mais de perto a realização da revitalização deste modal que passa por Mato Grosso do Sul”, explicou o governador.

Além do entusiasmo do governador Reinaldo Azambuja e do setor privado, o governador João Doria deve somar esforços no cenário nacional. Ele já galga a realização da reconstrução da ferrovia Paulista e deve compor o grupo para que a ferrovia Oeste, que Mairinque (SP) à Corumbá, entre na agenda do Ministério da Infraestrutura. “Vamos busca na agenda com o ministro Tarcísio (Infraestrutura) a inclusão da ferrovia Oeste na PPI (Programa de Parceria de Investimentos), vislumbrando a realização posterior da Transamericana”, completou.

O ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas já reconheceu a importância de efetivar a ferrovia, segundo o governador, o ministro fez compromisso de colocar a malha Oeste na PPI e dar viabilidade aos investimentos. “A retomada da ferrovia, transportando riquezas do nosso Estado, melhorando e agregando valores aos nossos produtos é fundamental, mais do que nunca devemos ter uma composição definitiva de uma restruturação de toda essa malha Oeste que atravessa Mato Grosso do Sul de Três Lagoas a Corumbá, porém é mais do isso, significa a realização da TransAmericana que vai interligar os oceanos passando pelo nosso Estado. Então é um ambiente comum de apoio que eu tenho certeza que os governos de São Paulo, Mato Grosso e demais estados do Centro-Oeste vão somar para que a gente tenha esse modal concluído”.

Segundo o governador sul-mato-grossense, a integração do Brasil com a Bolívia, Peru, Argentina e Chile por meio desta estrada pode acontecer em breve. “Conseguimos avançar no que se refere a efetivação do projeto porque temos hoje uma organização, houve o cuidado de um planejamento e vejo que nos próximos meses teremos boas notícias”, finalizou.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, explicou que o Estado está dando continuidade na estratégia de desenvolvimento com investimento em logística, mas salientou que o projeto atual está dentro de um escopo completamente diferente e muito maior. “Dentro dessa estrutura de Portos, Rota Bioceânica, investimento nas rodovias internas do Estado por meio do Fundersul, nós temos como foco restabelecer a malha Oeste que é a nossa antiga ferrovia que liga Mairinque (SP) a Corumbá, porém hoje o conceito é muito mais amplo, focamos na ferrovia TransAmericana que servirá para integrar o pacífico ao Atlântico”, pontuou.

Transamericana
O projeto da ferrovia transamericana vai interligar os oceanos e agregar valores econômicos e de desenvolvimento para os cinco países. A malha, segundo o governador Reinaldo Azambuja, é de extrema importância também para os Estado de São Paulo, pois o projeto inicia no Porto de Santos (SP) e vai até os portos do Pacífico, tanto no Chile como no Peru. “É um projeto prioritário para o Governo que temos dedicado muito esforço porque entendemos que é fundamental. A ferrovia não é apenas forma de escoamento, mas um projeto de integração e eixos de desenvolvimento dos países, agregando outros valores”. disse Jaime Verruck.

Parcerias e investimentos
A comitiva sul-mato-grossense também visitou o empresário Benjamin Steinbruch, presidente da Companhia Siderúrgica Nacional. Dentro da política de atração de investimentos, o governador Reinaldo Azambuja e os secretários apresentaram possibilidade de negócios com o Estado. “Benjamin já atua em Mato Grosso do Sul através da pecuária, tem mais de 45 mil funcionário em todos Brasil e tem uma série de interesses, atua na área de energia, siderurgia, por isso apresentamos as políticas do Estado e os potencias para atrair investimentos”, disse Verrukc

Para o secretário de Governo e Gestão estratégica, as agenda em São Paulo foram extremamente importantes por tratarem do desenvolvimento do Estado. “O governador liderou uma discussão dentro de um ambiente de negócios propícios onde os principais atores estavam presentes, investidores interessados de uma maneira geral”, disse sobre a participação do Estado no Fórum da Revista Exame que debateu PPP (Parceria Público Privado)e Concessão.

Ele também ressaltou que as agendas foram bastante pragmáticas, objetiva e de desdobramento importante de ação. “Ações conjuntas oram articuladas com assertividade muito grande em termos de resultado”, concluiu.

Participaram também da reunião na Rumo Logística o executivo Daniel Rossi, Diretor Executivo da Ferrovia TransAmericana; Alinne Christoffoli, gerente de Relações Governamentais e Adriano Zerbini, Diretor de Comunicação da Cosan.

Fonte: Portal do Jornal A Crítica de Campo Grande/MS

Share on social media

©2019 | AmstedMaxion Creating Paths | All rights reserved